Logo

Consulta Remédios

Anvisa

Flancox

42 ofertas
Apsen
Item-1 Princípio ativo: etodolaco Item-3 Necessita de receita. Item-3 Branca comum.
Publicidade

Indicações: - No tratamento da osteoartrite e da artrite reumatóide (aguda ou crônica). Controle da dor, especialmente a dor associada com inflamação (como na cirurgia odontológica, obstétrica, traumas e outras condições, como artrite gotosa aguda, dismenorréia e enxaqueca.

Contra-Indicações: - Hipersensibilidade conhecida ao etodolaco.
- Não deve ser administrado a pacientes que tenham apresentado pólipos nasais associados a broncoespasmos, asma, urticária, angioedema, ou outras reações alérgicas após o uso de ácido acetilsalicílico, ou outro antiflamatório. Nos casos de úlcera gastroduodenal em evolução e na insuficiência hepática ou renal severas.
- Em crianças abaixo de 15 anos de idade.

Interação: - Anticoagulantes orais, heparina por via parenteral e ticlopidina: Aumento do risco hemorrágico.
- Outros AINEs e salicilatos em altas doses: Aumento do risco ulcerogênico e hemorrágico digestivo.
- Diuréticos: Risco de insuficiência renal aguda nos pacientes desidratados.
- Anti-hipertensivos (betabloqueadores, captopril, lisinopril, diuréticos - conforme outros AINEs): Redução do efeito anti-hipertensivo.

Posologia: - Devem ser tomados sempre com um copo cheio de água, de preferência após as refeições.
- A dose diária recomendada de FLANCOX (etodolaco) para dor aguda é de até 1.000 mg, administrados em doses de 300-400 mg a cada 6-8 horas.
- Osteoartrose e artrite reumatóide: A dose inicial recomendada de (etodolaco) é de 800 mg a 1.200 mg, via oral, em duas a quatro vezes ao dia: 300 mg, 3 a 4 vezes ao dia; 400 mg, duas a três vezes ao dia.

Classe Terapêutica: Antiflamátorio

Categorias: Dor e Contusão, Antiinflamatórios

Feedback-icon
Anvisa

Todas as informações contidas neste site têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

PROCURE UM MÉDICO E O FARMACEUTICO. LEIA A BULA.