Biproslan

Sem ofertas no momento

Sem ofertas

6,43 + 2,63mg/ml, suspensão injetável, caixa com 50 ampolas + seringa (hospitalar)

EAN 7898216362493
PMC/SP R$ 555,35
Carregando ofertas...

No momento nenhuma farmácia está ofertando a apresentação deste medicamento.

Deixe seu e-mail para ser notificado quando houver ofertas desta apresentação.

Buscar por tipo

Sem ofertas

6,43 + 2,63mg/ml, suspensão injetável com 1ml

EAN 7898216360352
PMC/SP R$ 22,22
Carregando ofertas...

No momento nenhuma farmácia está ofertando a apresentação deste medicamento.

Deixe seu e-mail para ser notificado quando houver ofertas desta apresentação.

Bula do Biproslan

é indicado em vários distúrbios endócrinos, osteomusculares, do colágeno, dermatológicos, alérgicos, oftálmicos, respiratórios, hematológicos, neoplásicos e outras doenças sensíveis àcorticoterapia; é também indicado em situações onde se exige efeito corticosteróiderápido e intenso, sendo medicação adjuvante e não substitutiva à convencional
É indicado para o tratamento de hipertensão arterial leve e moderada. Na hipertensão grave, pode ser combinado com fármacos anti- hipertensivos não-diuréticos. Também é indicado para promover a excreção de acúmulos anormais de líquidos visíveis ou inaparentes, e aliviar o trabalho docoração em pacientes com insuficiência cardíaca e edemas conseqüentes a doenças hepáticas ou renais.
Indicado para o tratamento de doenças agudas e crônicas responsivas aos corticóides:
- Artrite reumatóide, osteoartrite, bursite, espondilite anquilosante, epicondilite, radiculite, coccidinia, ciática, lumbago, torcicolo, cisto ganglionar, exostose, fascite.
- Asma brônquica crônica, febre-do-feno, edema angioneurótico, bronquite alérgica, rinite alérgica sazonal ou perene, reações medicamentosas, doença do sono, picadas de insetos.
- Dermatite atópica, dermatite de contato, dermatite solar grave, urticária, lúpus eritematoso, psoríase.
- É indicado no tratamento adjuvante das afecções alérgicas do aparelho respiratório, como: asma brônquica grave e rinite alérgica; nas afecções alérgicas cutâneas, como: dermatite atópica (eczema), dermatite de contato, reações medicamentosas e doença do soro, e nas afecções alérgicas inflamatórias oculares como: ceratite, irite não-granulomatosa, coriorretinite, iridociclite, coroidite, conjuntivite e uveíte.
Pomada: é indicado para o alívio da inflamação e do prurido (coceira) nas doenças de pele crônicas.
Solução: é indicado no tratamento tópico (local) da psoríase e da dermatite
seborréica do couro cabeludo.
Tratamento da hipertensão arterial quando a terapêutica combinada for apropriada.
- É indicado no tratamento das afecções alérgicas do aparelho respiratório, como: asma brônquica grave e rinite alérgica; nas afecções alérgicas cutâneas, como: dermatite atópica (eczema), dermatite de contato, reações medicamentosas e nas afecções alérgicas inflamatórias oculares como: ceratite, conjuntivite e uveíte. Nestas afecções oculares, Celestamine inibe a fase exsudativa e inflamatória, contribuindo para preservar a integridade funcional do globo ocular, enquanto se realiza o tratamento da infecção ou por outra causa com terapia específica.

Uso oral

Doença reumática – Ingerir de 6 até 8 mg/dia. Após alcançar resposta favorável, diminuir em 0,25 até 0,5 mg ao dia, quando a dose de manutenção satisfatória for alcançada, deve ser mantida por 4 até 8 semanas.

Bursite – Dividir em 3 ou 4 doses de 1 até 2,5 mg/dia. Assim que alcançar o resultado, reduzir o uso até não usar mais.

Estado de mal asmático – Máximo de 4,5 e mínimo de 3,5 mg/dia, até aliviar a crise. Após isso, reduzir a dose em 0,25 até 0,5 mg/dia, até não ser mais necessário.

Enfisema pulmonar ou fibrose – Ingerir doses de 6 a 8 horas de intervalo com 2 até 3,5 mg/dia, até obter melhora. Depois diminuir gradualmente, até alcançar entre 1 até 2,5 mg/dia.

Asma crônica de difícil tratamento – 3,5 mg/dia. Depois de obter resultado, diminuir a dose entre 0,25 e 0,5 por dia, até obter uma dose de manutenção satisfatória.

Afecções dermatológicas – 2,5 até 4,5 mg/dia, até obter um controle satisfatório. Depois reduzir 0,25 até 0,5 mg a cada 2 ou 3 dias, até que seja determinada a dose satisfatória.

Doença inflamatória ocular – Dividir em 3 ou 4 doses, 2,5 até 4,5 mg/dia até obter controle satisfatório. Reduzir então a dose em 0,5 mg/dia até atingir a dose de manutenção.

Lúpus eritematoso disseminado – dividir 3 vezes ao dia, doses de 1 até 1,5 mg. Reduzir a quantidade de medicamento até atingir a manutenção adequada (1,5 até 3,0 por dia).

Síndrome adrenogenital – Ingerir de 1 até 1,5 mg/dia.

Uso injetável:
Crianças (via intramuscular) - 0,02 até 0,125 mg/kg por dia.
Adultos (via intramuscular) – 0,25 até 8 mg/ dia nas nádegas.
Adultos (via intravenosa direta) – edema cerebral: 2 até 4 mg dose média total e estado de coma: 2 até 4 mg. 4 vezes ao dia.

contra-indicado para pacientes com infecções sistêmicas por fungos , hipersensibilidade à betametasona , a outros corticosteróides ou a qualquer de seus componentes.
Hipersensibilidade à piretanida ou a derivados sulfonamídicos. Não deve ser usado em insuficiência renal com anúria, hipopotassemia ou hiponatremia graves, hipovolemia com ou sem redução concomitante da pressão arterial, insuficiência hepática associada com alterações do estado de consciência.
Hipersensibilidade aos componentes da fórmula.
Pacientes com infecções sistêmicas por fungos.
Não deverá ser administrado por via intramuscular em pacientes com púrpura trombocitopênica idiopática.
Gravidez e lactação.
- Está contra-indicado para pacientes com infecção sistêmica por fungos, em prematuros e recém-nascidos, nos pacientes que estejam recebendo terapia com inibidores da MAO e nos que demonstrarem hipersensibilidade a qualquer dos componentes de sua fórmula.
- Durante Gravidez e Lactação.
Hipersensibilidade aos componentes fórmula.
Não deve ser usado em pacientes grávidas em grandes quantidades ou por períodos prolongados.
Durante a amamentação.
Não deve ser usado nos olhos, nem em outras superfícies mucosas.
Hipersensibilidade a qualquer um dos componentes de sua formulação.
Com histórico de edema angioneurótico relacionado a tratamento anterior com inibidores da enzima conversora da angiotensina e com angioedema hereditário ou idiopático.
Gravidez e lactação.
- Está contra-indicado para pacientes com infecção sistêmica por fungos.
- Em pacientes que demonstrem hipersensibilidade aos componentes da fórmula.
- Durante a gravidez deve ser avalido risco/benefício pelo médico.

Dermatológica - Inflamação avermelhada no rosto, crescimento de pelos em mulheres, diminuição da pigmentação na pele, pequenos pontos de sangramento na pele, diminuição da cicatrização.

Gastrintestinal – Aumento de apetite, indigestão, soluço, inflamação do pâncreas, úlcera no esôfago e estômago, distensão abdominal.

Cardiovascular – Inchaço, pressão baixa ou alta, insuficiência do coração.

Endócrino-metabólico – Aumento da glicose no sangue, ausência de menstruação, diabetes, problema hormonal, retenção de água, inchaço, diminuição do potássio no sangue.

Sistema nervoso central – Tontura, insônia, pressão intracraniana, convulsão, vertigem, falso tumor cerebral, nervosismo, sensação de queda iminente.

Oftalmológico – Aumento da pressão no olho, catarata.

Musculoesquelético – Fratura, fraqueza muscular, problema nos ossos, necrose óssea, dor nas juntas.

Local da injeção – Abscesso.

Outros – Suor, reação alérgica grave.

Uso em idosos: em pacientes idosos, devido à camada córnea cutânea ser mais delgada que a dos pacientes mais jovens, o medicamento pode acentuar a atrofia da pele ou púrpura. Além disso, a depuração de fármacos pela pele é mais lenta em idosos, o que potencializa seus efeitos.

Uso durante a gravidez e amamentação: a segurança do uso de corticosteroides tópicos durante a gravidez não foi estabelecida. Portanto fármacos pertencentes a esta categoria devem ser utilizados em gestantes unicamente se os benefícios potenciais justificarem os riscos potenciais para o feto. Assim, o medicamento não devem ser usado em grandes quantidades ou por período prolongado de tempo em gestantes.

Categoria de risco no primeiro trimestre da gravidez –D: o fármaco demonstrou evidências positivas de risco fetal humano, no entanto os benefícios potenciais para a mulher podem, eventualmente, justificar o risco, como por exemplo, em casos de doenças graves ou que ameaçam a vida e para as quais não existam outras drogas mais seguras.

Categoria de risco no segundo e terceiro trimestre de gravidez – C: Não foram realizados estudos em animais e nem em mulheres grávidas; ou então, os estudos em animais reveleram risco, mas não existem estudos disponíveis realizados em mulheres grávidas.

- Com ritodrina pode causar edema pulmonar em gestantes.
- Pode dificultar a ação de suplemento de potássio.
- Alteração do metabolismo com mitotano podem ocorrer.
- Pode diminuir a ação de crescimento (se utilizado em longo prazo) de: somatropina, somatrem.
- O risco de reações adversas de vacina de vírus vivos ou outra imunização é maior.
- Diminui a ação de diurético.
- Os níveis de glicose podem ser aumentados, podendo exigir acertos de doses de: insulina, antidiabético oral.
- Pode agravar a queda de potássio no sangue com: Anfotericina B, inibidor da anidrase carbônica.
- Pode ter sua ação diminuída por: indutor de enzimas hepáticas.

Informações Profissionais

  • FABRICANTE

    Pharlab

  • TIPO DO MEDICAMENTO

    Similar

  • NECESSITA DE RECEITA

    Sim, Branca Comum

  • PRINCÍPIO ATIVO

    Dipropionato de Betametasona

  • CATEGORIAS DO MEDICAMENTO

    Corticóide

  • CLASSE TERAPÊUTICA

    Corticosteróides Injetáveis Puros

  • ESPECIALIDADES

    Pneumologia

VEJA MAIS NO CR PRO
Publicidade

Farmácias e Especialistas

Próximo de: Chácara Maria Trindade, São Paulo - SP