Logo

Consulta Remédios

Anvisa

Lexapro (C1)

9 ofertas
Lundbeck
Item-1 Princípio ativo: escitalopram Item-3 Necessita de receita. Item-3 Receita retida. Item-3 C1 Branca 2 vias.
Publicidade

Indicações: - Depressão mental maior.
- É indicado no tratamento e prevenção da recaída ou recorrência da depressão. Tratamento do transtorno do pânico, com ou sem agorafobia. Tratamento do transtorno de ansiedade generalizada (TAG). Tratamento do transtorno de ansiedade social (fobia social).

Contra-Indicações: - Este medicamento é contra- indicado em crianças.
- É contra-indicado em pacientes que apresentam hipersensibilidade ao escitalopram ou a qualquer um de seus componentes.
- O tratamento concomitante com IMAOs (inibidores da monoaminoxidase) é contra-indicado.
- Durante gravidez e amamentação.

Interação: - Drogas de ação serotoninérgica (p. ex.: tramadol, sumatriptano): A administração concomitante pode levar ao aparecimento da síndrome17 serotoninérgica.
- Drogas que afetam a função plaquetária (ex.: antipsicóticos atípicos e fenotiazidas, antidepressivos tricíclicos, aspirina, AINEs), podem aumentar a tendência hemorrágica destes (inibição da recaptação de serotonina pelos trombócitos), particularmente em pacientes com tendências hemorrágicas.
- Cimetidina: Resulta em um aumento das concentrações plasmáticas do escitalopram de aproximadamente 70%.
- A fluoxetina, fluvoxamina, lanzoprazol, ticlopidina: Resulta em aumento da concentração plasmática do escitalopram. Poderá ser necessária a redução da dose do escitalopram.

Posologia: Uso Oral
- A dose usual é de 10 mg/dia, podendo chegar até 20 mg por dia dependendo da resposta clínica.
-Tratamento minimo 6 meses para prevenção de recaídas.

Classe Terapêutica: Antidepressivo

Categorias: Sistema Nervoso, Depressão

Feedback-icon
Anvisa

Todas as informações contidas neste site têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

PROCURE UM MÉDICO E O FARMACEUTICO. LEIA A BULA.