Mylicon

Ofertas a partir de R$16,40

14 ofertas

75mg solução, frasco com 15ml

EAN 7896212410057
PMC/SP R$ 21,44
Carregando ofertas...

Bula do Mylicon

Mylicon está indicado para o alívio dos sintomas do excesso de gases no trato digestivo, que causam meteorismo, eructações e borborigmo. É também indicado na preparação intestinal (diminuição dos gases intestinais) para posterior realização de exames de diagnóstico por imagem.

Como este medicamento funciona?

Mylicon atua no estômago e no intestino, rompendo as bolhas de gás e facilitando sua eliminação.

Mylicon alivia e tira o desconforto do excesso de gases, provocado por deglutição de ar ou por alguns alimentos, especialmente na infância, pela ingestão de certas fórmulas ou alimentos infantis.

A simeticona não é absorvida pelo organismo e é eliminada inalterada nas fezes.

Agite bem antes de usar.

Mylicon deve ser administrado por via oral.

As gotas devem ser administradas sem diluição ou diluídas em um pouco de água, leite ou outros líquidos frios (evite refrigerantes).

As doses poderão ser aumentadas a critério médico.

Não administrar Mylicon diretamente na boca do paciente.

Mylicon não mancha a roupa e não contém corante em sua formulação.

Instruções de uso:

  1. Retire a tampa do frasco.
  2. Incline o frasco a 90° (posição vertical), conforme a ilustração abaixo.
  3. Goteje a quantidade recomendada e feche o frasco após o uso.

Idade Dose

Bebês e Crianças até 2 anos

2 a 3 gotas, 3 vezes ao dia

Crianças de 2 a 12 anos

3 a 5 gotas, 3 vezes ao dia

Adultos e crianças acima de 12 anos

7 gotas, 3 vezes ao dia

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Se você se esquecer de tomar uma dose deste medicamento, você deve tomá-la assim que se lembrar. Não tome o dobro da dose para compensar a dose esquecida.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista. 

Não utilize Mylicon se você tiver hipersensibilidade (alergia) a qualquer um dos componentes da fórmula. Em caso de alergia, a administração do produto deve ser descontinuada.

Fertilidade, gravidez e lactação

Não existem estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas.

A simeticona não deve ser usada durante a gravidez a menos que o potencial benefício do tratamento para a mãe exceda os possíveis riscos para o feto em desenvolvimento, levando em conta que a simeticona é fisiologicamente inativa e não absorvida pelo trato gastrintestinal.

A simeticona não é excretada no leite materno.

As reações adversas medicamentosas identificadas durante a experiência pós-comercialização da simeticona estão apresentadas a seguir. As frequências são fornecidas de acordo com a seguinte convenção:

  • - Muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • - Comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • - Incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • - Rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • - Muito Rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • - Desconhecida (não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis).

Distúrbios gastrintestinais

Muito rara: Vômitos

Distúrbios da pele e tecido subcutâneo

Muito rara: Angioedema (inchaço em região subcutânea ou mucosa geralmente de origem alérgica)

Muito rara: Erupção cutânea

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

Inflamação da pele, urticária.

Nenhum sintoma de superdose foi identificado a partir da análise de dados pós-comercialização e da revisão da literatura disponível.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Não exceda a posologia recomendada, exceto sob orientação médica.

Evite a ingestão de refrigerantes e alimentos que causam o aumento do gás do estômago.

Não administrar Mylicon diretamente na boca do paciente.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir ou operar máquinas

A simeticona não apresenta influência sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações medicamentosas - acidificantes urinários: os antiácidos podem alcalinizar a urina comprometendo a sua acidificação - ácido ascórbico: podem ocorrer efeitos tóxicos pelo alumínio quando antiácidos contendo alumínio são administrados com doses elevadas diárias de ácido ascórbico - ácido fólico: o uso prolongado de antiácidos contendo alumínio e magnésio pode diminuir a absorção de ácido fólico O antiácido deve ser administrado no mínimo 2 horas depois do ácido fólico - alendronato, alopurinol, atenolol, atorvastatina, azitromicina e captopril: pode ocorrer redução da biodisponibilidade por redução da absorção intestinal quando administradas concomitantemente com antiácidos - anfetaminas ou quinidina: o uso concomitante com antiácido em doses que causem a alcalinização da urina, pode inibir a excreção desses medicamentos resultando em toxicidade Pode ser necessário ajuste de dose - anticolinérgicos: o uso concomitante com antiácido pode diminuir a absorção de anticolinérgicos, reduzindo a sua eficácia O medicamento deve ser administrado com intervalo de 1 hora à administração do antiácido - bisacodil: o uso concomitante com antiácido reduz a eficácia do bisacodil por mecanismo desconhecido - celulose fosfato sódica: o uso concomitante com antiácido contendo magnésio pode resultar em ligação do magnésio, portanto, o antiácido deve ser administrado com intervalo de 1 hora à administração de celulose fosfato sódica - cetoconazol: os antiácidos podem aumentar o pH gastrintestinal, resultando em uma redução do cetoconazol Recomenda-se administrar antiácidos no mínimo 3 horas antes da administração do cetoconazol - citratos: o uso concomitante com antiácidos contendo alumínio ou bicarbonato de sódio pode resultar em alcalose sistêmica No caso de antiácido contendo alumínio, pode ocorrer aumento da absorção do alumínio, levando à toxicidade aguda, especialmente em pacientes com insuficiência renal (perda da função dos rins) - fenitoína: o uso concomitante com antiácidos contendo alumínio e/ou magnésio, pode diminuir a absorção da fenitoína, reduzindo também a sua concentração sérica Recomenda-se administrar os dois medicamentos com uma diferença de 2 a 3 horas - fenotiazinas, especialmente clorpromazina oral: a absorção pode ser inibida com o uso concomitante de antiácidos contendo alumínio ou magnésio - fluoreto de sódio: o uso concomitante com hidróxido de alumínio pode diminuir a absorção e aumentar a excreção fecal de fluoreto - fluoroquinolonas: a alcalinização da urina pode reduzir a solubilidade do ciprofloxacino e da norfloxacino na urina, especialmente se a urina exceder o pH 7,0 Caso sejam utilizados conjuntamente, os pacientes devem ser observados se ocorrer sinais de cristalúria (presença de cristais na urina) ou nefrotoxicidade Os antiácidos contendo alumínio e magnésio podem reduzir a absorção das fluoroquinilonas, resultando na baixa concentração sérica e urinária destes medicamentos, portanto, o uso concomitante não é recomendado Embora sejam utilizados concomitantemente, é recomendado que o enofloxacino seja administrado 2 horas antes ou 8 horas depois do antiácido; o ciprofloxacino e o lomefloxacino 2 horas antes ou 6 horas depois do antiácido; o norfloxacino e o ofloxacino sejam administrados 2 horas antes ou depois do antiácido - fosfato oral: o alumínio e o magnésio presentes nos antiácidos podem ligar-se ao fosfato impedindo a sua absorção - glicosídeos digitálicos: o uso concomitante com antiácidos contendo alumínio ou magnésio pode inibir a absorção desses medicamentos, diminuindo, a sua concentração plasmática - isoniazida oral: o uso concomitante com antiácido contendo alumínio pode retardar e diminuir a absorção da isoniazida Recomenda-se que a isoniazida seja administrada no mínimo 1 hora antes do antiácido - medicamentos de liberação entérica: o uso concomitante com antiácidos pode causar rápida dissolução destes medicamentos, resultando em irritação gástrica ou duodenal - misoprostol: o uso concomitante com antiácidos contendo alumínio pode agravar a diarreia induzida pelo uso do misoprostol - pancrelipase: embora o uso concomitante de antiácido seja necessário para prevenir a inativação da pancrelipase pela pepsina gástrica e pH ácido, os antiácidos contendo magnésio não são recomendados, uma vez que podem diminuir a eficácia da pancrelipase - penicilamina: a absorção pode reduzir com o uso concomitante com antiácidos contendo alumínio ou magnésio Recomenda-se que os antiácidos e a penicilamina sejam administrados em separado com um intervalo de 2 horas - quinina: o uso concomitante com antiácidos contendo alumínio pode diminuir a absorção de quinina - receptor antagonista de histamina H2: embora o uso concomitante de antiácido possa ser indicado no tratamento da úlcera péptica para alívio da dor, este não é recomendado, pois a administração concomitante de altas doses de antiácido pode diminuir a absorção do receptor antagonista de histamina H2 - resina sulfonada de poliestireno sódico: a neutralização do ácido gástrico pode ser impedida pelo uso concomitante da resina sulfonada de poliestireno sódico com antiácidos contendo magnésio, resultando em possível alcalose sistêmica O uso concomitante não é recomendado - salicilatos: a alcalinização da urina pode aumentar a excreção de salicilatos e diminuir suas concentrações séricas, portanto, é recomendado o ajuste de doses dos salicilatos - sucralfato: o uso concomitante não é recomendado, pois os antiácidos podem interferir na ligação do sucralfato com a mucosa O antiácido não deve ser administrado 30 minutos antes ou depois da administração de sucralfato - tetraciclina oral: a absorção pode diminuir com a administração concomitante de antiácidos, pela possibilidade em formação de complexos não absorvíveis e / ou o aumento do pH gástrico Os pacientes devem ser advertidos para não tomar antiácidos entre 3 a 4 horas da administração da tetraciclina - vitamina D incluindo calcifediol e calcitriol: o uso concomitante com antiácidos contendo magnésio pode resultar em hipermagnesemia, especialmente em pacientes com insuficiência renal (condição na qual os rins perdem a capacidade de efetuar suas funções básicas) Ingestão concomitante com outras substâncias Não há restrições específicas quanto à ingestão concomitante com alimentos e bebidas GELUSIL pode ser administrado com leite ou água Interferência em exames laboratoriais Teste de secreção do suco gástrico: os antiácidos podem antagonizar o efeito da pentagastrina e da histamina na evolução da função da secreção gástrica As concentrações séricas de cálcio e gastrina podem aumentar e a de fosfato sérico diminuir O pH sistêmico e urinário pode aumentar Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento 5

MS - 1.1236.3354

Farm. Resp.: Marcos R. Pereira
CRF/SP no 12.304

Registrado por:
Janssen-Cilag Farmacêutica LTDA.
Rua Gerivatiba, 207, São Paulo – SP
CNPJ 51.780.468/0001-87

Fabricado por:
Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda.
Rodovia Presidente Dutra, km 154 São José dos Campos – SP
CNPJ 51.780.468/0002-68
Indústria Brasileira

Você deve conservar Mylicon em temperatura ambiente (temperatura entre 15°C e 30°C), protegido da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Apresentação

Suspensão viscosa de cor branca.

Cada mL (11 a 12 gotas) contém:

  • - 75 mg de simeticona (ou cada gota contém 6,5 mg de simeticona).

Excipientes: ácido cítrico, maltitol, celulose microcristalina e carmelose sódica, água purificada, benzoato de sódio, citrato de sódio di-hidratado, goma xantana, metilparabeno, propilparabeno

Fórmula sem corante.

Informações Profissionais

  • FABRICANTE

    Janssen-Cilag

  • TIPO DO MEDICAMENTO

    Referência

  • NECESSITA DE RECEITA

    Não, Isento de Prescrição Médica

  • PRINCÍPIO ATIVO

    Dimeticona

  • CATEGORIAS DO MEDICAMENTO

    Antigases

  • CLASSE TERAPÊUTICA

    Antiflatulentos Puros e Carminativos

  • ESPECIALIDADES

    Gastroenterologia

VEJA MAIS NO CR PRO
Publicidade