Bula do Calman

Calman a partir de R$21,53

VER OFERTAS

Para que serve o Calman

Ansiedade, distúrbios comportamentais do sono na criança, distúrbios neurovegetativos, enurese de origem não orgânica, hipertensões leves, insônias e irritabilidade.

Como o Calman funciona?

Devido a associação da Passiflora incarnata L., Crataegus oxyacantha L. e Salix alba L., Calman possui um efeito calmante leve indicado nos quadros de ansiedade e distúrbios do sono.

A Crataegus oxyacantha L. possui um efeito de relaxamento sobre a musculatura lisa, com isto, Calman pode ser usado nos casos de enurese noturna e como coadjuvante nos casos de hipertensão leve.

Contraindicação do Calman

Calman está contraindicado a pacientes com alergia aos componentes de sua formulação.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando antes do início ou durante o tratamento.

Como usar o Calman

Comprimidos Revestidos

Crianças maiores que 5 anos

  • - 1 comprimido revestido, 1 ou 2 vezes ao dia.

Adultos

Insônia e irritabilidade leve

  • - 1 a 2 comprimidos revestidos, 1 ou 2 vezes ao dia.

Estados depressivos acentuados e insônia rebelde

  • - 2 a 4 comprimidos revestidos, 1 ou 2 vezes ao dia.

Líquido (solução oral)

Irritabilidade e insônia

Lactentes

  • -  2,5ml, 1 ou 2 vezes ao dia.

Crianças de 2 a 5 anos

  • - 5ml, 1 ou 2 vezes ao dia.

Crianças maiores de 5 anos

  • - 10ml, 1 ou 2 vezes ao dia.

Adultos e adolescentes

  • - 15ml a 20ml, 1 ou 2 vezes ao dia.

Precauções do Calman

Apesar de ser um produto fitoterápico, Calman pode levar a um quadro de sonolência.

Pacientes que irão dirigir ou operar máquinas devem ter maior cautela no desenvolvimento de tais atividades.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Não tome o medicamento sem o conhecimento do seu médíco, pode ser perigoso para sua saúde. 

Reações Adversas do Calman

Ainda não é conhecido o padrão de reações adversas.

Não há relatos de alterações em exames laboratoriais causados por Calman, porém devido à presença de Salicina deve-se cogitar possíveis alterações na coagulação sanguínea.

População Especial do Calman

Pacientes idosos

Até o momento, não há relatos de reações adversas em pacientes acima de 65 anos.

Gravidez e lactação

Não há estudos conclusivos do uso dessas plantas em gestantes ou lactantes, sendo assim, deve-se evitar o uso deste produto nestas condições.

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.

Informar ao médico se está amamentando.

Composição do Calman

Comprimidos revestidos

Cada comprimido revestido contém:

Extrato seco de Passiflora incarnata L. 0,100g
Extrato seco de Crataegus oxycantha L. 0,030g
Extrato seco de Salix alba L. 0,100g

Excipientes: dióxido de silício, lactose, estearato de magnésio, glicolato amido sódico, talco BL-1 magnesita, polissorbato 80, polietilenoglicol, dióxido de titânio, corante, copolímero ácido metacrílico, simeticona, trietilcitrato, álcool, isopropílico, acetona, água de osmose.


Líquido (solução oral)  

Cada 5ml (1 copo medida) contém:

Extrato fluído de Passoglora incarnata L. 0,50ml
Alcoolato de Crataegus oxyacantha L. 0,35ml
Extrato mole de Salix alba L. 0,250g

Excipientes: açúcar, glicerina, metilparabeno, ácido cítrico, água de osmose e corante caramelo.

Nomeclatura botânica e partes das plantas utilizadas

  • - Passiflora incarnata L. (Passifloraceae), flores e folhas;
  • - Crataegus oxyacantha (Rosaceae), flores e folhas;
  • - Salix alba L (Salicaceae), casca.

Superdosagem do Calman

Não há relatos de superdosagem com o uso de Calman.

Em caso de ingestão acidental proceder lavagem gástrica e administração de eméticos.

Interação Medicamentosa do Calman

Pode potencializar os efeitos de medicamentos sedativos e anticoagulantes, não devendo ser administrado concomitantemente à medicamentos destas classes.

Ação da Substância Calman

Plumeria lancifolia Muell.

Também conhecida como Himatanthus lancifolius (Muell. Arg.) Woodson, pertence a família das Apocynaceae, uma planta nativa das regiões de Minas Gerais, Espirito Santo, Rio Grande do Sul, Goiás e abundantemente na Amazônia, mais conhecida como agoniada, têm sido indicada na medicina tradicional para o tratamento de diversas enfermidades.

Passiflora alata Dryander.

Várias espécies de maracujá, silvestres ou cultivadas, são tradicionalmente conhecidas no âmbito da medicina popular em quase todos os países ocidentais. Algumas espécies estão incluídas nas Farmacopéias ou aceitas oficialmente para uso medicamentoso como a Passiflora alata Dryander no Brasil e Passiflora incarnata L. na América do Norte e França . Tradicionalmente é utilizado como sedativo, calmante, antiespasmódico e tônico dos nervos.

Citrus aurantium L.

É conhecida também como laranja amarga e pertence a família das Rutaceae. Nativa do sudoeste asiático é cultivada em pomares domésticos em todo o Brasil. Internamente é empregada contra indigestão flatulenta, diarréia, tosses intermitentes e cólicas de bebês. Ao chá das folhas se atribui propriedade antiespasmódica. Possui em sua composição química óleos essenciais e flavonóides como a hesperidina. A hesperidina apresenta atividade depressora sobre o sistema nervoso central e miorelaxante.

Cuidados de Armazenamento do Calman

O medicamento deve ser conservado ao abrigo do calor excessivo, da umidade, da luz e em temperatura ambiente (entre 15° e 30°C).

Prazo de validade: 36 meses após a data de fabricação.

Verifique a data de fabricação no cartucho.

Não use medicamentos com o prazo de validade vencido.

Mensagens de Alerta do Calman

Atenção diabéticos: a apresentação líquida contém açúcar.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance de crianças. 

Dizeres Legais do Calman

M.S 1.1861.0017

Farm Resp: Dra. Amanda Públio da Silva
CRF-SP n° 37.152
Ativus Farmacêutica Ltda
Rua Fonte Mécia, 2.050 Caixa Postal 489
CEP 13273-900 Valinhos/SP

SAC 0800.771.2010
CNPJ n° 64.088.172/0001-41
Indústria Brasileira