7 MEDICAMENTOS COM

Clortalidona

69 Ofertas de R$4,99 até R$26,50
Apenas com Ofertas
Ordenar:

Informações do Clortalidona

Descrição

A clortalidona comprimido contém a substância ativa clortalidona, que pertence a um grupo de medicamentos chamados diuréticos que atuam aumentando a quantidade de urina produzida pelos seus rins.
A clortalidona é um diurético que reduz a quantidade de sal e de água no corpo, aumentando a quantidade de urina. Seu uso prolongado ajuda a reduzir e controlar a pressão sanguínea. Como diuréticos, incluindo clortalidona, reduzem a quantidade de cálcio que passa para fora do corpo, também têm sido utilizados para prevenir a formação de cálculos renais de oxalato cálcio recorrentes. A clortalidona comprimido também pode ser usado para outras condições, conforme determinado pelo seu médico.
O metabolismo e a excreção da clortalidona na bile constituem vias de eliminação menos importantes. Dentro de 120 horas, cerca de 70% da dose é excretada na urina e nas fezes, principalmente na forma inalterada.
Se você tiver quaisquer dúvidas sobre como clortalidona comprimido funciona ou porque este medicamento foi prescrito para você, pergunte ao seu médico.

Indicação

- clortalidona comprimido é normalmente usado para diminuir a pressão alta (hipertensão).
- clortalidona comprimido é utilizado para tratar insuficiência cardíaca.
- clortalidona comprimido é também utilizado para tratar outras condições como inchaço no corpo devido ao acumulo de fluidos, geralmente observado primeiramente nos pés ou pernas.
- clortalidona comprimido é utilizado para prevenir a formação de cálculos de cálcio recorrente (que geralmente são compostos principalmente de oxalato de cálcio) em pacientes com alto teor de cálcio na urina (hipercalciúria).

Contra-indicação

Você não deve usar este medicamento quando:
- apresentar alergia (hipersensibilidade) à clortalidona, outros medicamentos com estrutura similar (sulfonamidas, como o sulfametoxazol) ou a algum dos componentes de clortalidona comprimido. Se você acha que pode ser alérgico, informe seu médico. Se você não tiver certeza de quais medicamentos deve evitar, consulte seu médico;
- se estiver com doença grave do fígado, gota, níveis sanguíneos muito baixos de potássio ou de sódio ou níveis sanguíneos muito altos de cálcio;
- se você tem doença grave nos rins, com supressão da eliminação de urina (anúria);
- se você estiver grávida e tiver recebido clortalidona comprimido para tratar pressão alta.
Se alguma das condições acima se aplicar a você, não tome clortalidona comprimido e informe seu médico.

Tipo de receita

Branca Comum

Posologia

Pacientes que têm pressão alta geralmente não notam qualquer sinal deste problema. Muitos se sentem perfeitamente normais. Isso torna ainda mais importante tomar o medicamento conforme indicado pelo médico e para manter suas consultas, mesmo se você estiver se sentindo bem. Lembre-se que este medicamento não irá curar a sua pressão arterial elevada, embora possa ajudar a controlá-la. Você deve, portanto, continuar tomando o medicamento conforme orientado se você quiser diminuir a pressão e mantê-la baixa. Siga as instruções do seu médico cuidadosamente. Não exceda a dose recomendada.

Dosagem
O seu médico vai informar exatamente quanto clortalidona comprimido tomar. Seu médico irá prescrever a menor dose possível que irá atender suas necessidades. Siga as instruções do médico. O tratamento é iniciado com a menor dose e, em seguida, a dose é aumentada gradualmente.

- Hipertensão
A dose diária usual varia de 12,5 a 50 mg. A dose diária inicial usual é de 12,5 mg ou 25 mg. Na maioria dos pacientes o máximo de redução da pressão arterial é geralmente obtida com 25 mg/dia. Dependendo de como seu corpo responde ao tratamento, seu médico poderá receitar uma dose superior ou inferior ou pode pedir que você tome outros medicamentos utilizados para diminuir a pressão sanguínea, juntamente com clortalidona comprimido. O efeito total é atingido após 3 a 4 semanas para uma determinada dose.

- Insuficiência cardíaca
A dose inicial diária é de 25 a 50 mg. Seu médico pode aumentar a dose até 200 mg por dia se necessário. Dependendo de como seu corpo responde ao tratamento, o médico pode pedir que você tome outros medicamentos, usados para tratar o problema do coração, junto com clortalidona comprimido.
A dose usual de manutenção é a menor dose efetiva, por exemplo, 25 a 50 mg diariamente ou em dias alternados.

- Retenção de fluido
As doses devem ser de até 50 mg/dia.

- Tratamento profilático do cálculo de oxalato de cálcio recorrente em pacientes com altos níveis de cálcio na urina (hipercalciúria)
A dose inicial é de 25 mg por dia. O seu médico pode aumentar a dose até 50 mg por dia se necessário.

- Pacientes idosos e pacientes com insuficiência renal
A menor dose padrão efetiva de clortalidona comprimido é também recomendada a pacientes com insuficiência renal leve e a pacientes idosos. Nos pacientes idosos, a eliminação de clortalidona é mais lenta do que em jovens adultos sadios, embora a absorção seja a mesma. Portanto, recomenda-se rigorosa observação médica quando pacientes em idade avançada forem tratados com clortalidona.
A clortalidona comprimido e os diuréticos tiazídicos perdem seu efeito diurético quando o clearance (depuração) de creatinina é < 30 mL/min.

- Crianças e adolescentes
Dados de estudos clínicos sobre o uso de clortalidona comprimido nesta população de pacientes é limitado. Em crianças e adolescentes com peso superior a 40 Kg, recomenda-se uma dose inicial de 12,5 mg (0,3 mg/Kg), sendo que a dose máxima de manutenção não deve exceder 50 mg/dia.
A menor dose eficaz deve ser usada em crianças e adolescentes.
Quando usar
Tomar clortalidona comprimido todos os dias no mesmo horário vai ajudar você a se lembrar de tomar o seu medicamento.

Como usar
Você deve ingerir o comprimido no horário de uma refeição, de preferência pela manhã. Tome o comprimido com um copo de água. Durante o tratamento com clortalidona comprimido, uma dieta rica em potássio (frutas e vegetais) é recomendada; uma dieta rigorosa pobre em sal não é aconselhável.

Por quanto tempo usar
Alguns pacientes precisam tomar medicamentos para controlar a pressão alta pelo resto de suas vidas. Continue tomando clortalidona comprimido conforme a orientação do seu médico. O seu médico irá monitorar regularmente a sua condição para verificar se o tratamento está tendo o efeito desejado.
A duração do tratamento é conforme orientação médica.

Reações

Como com todos os medicamentos, os pacientes tomando clortalidona comprimido podem sentir algumas reações adversas junto com seus efeitos positivos, embora nem todos apresentem estas reações. A maioria das reações adversas é de leve a moderada e desaparece após alguns dias ou algumas semanas de tratamento.
Não se assuste com a lista de possíveis efeitos adversos. Você pode não apresentar nenhum deles. Embora nem todos esses efeitos adversos sejam comuns, se ocorrerem, você pode precisar de cuidados médicos.
Algumas reações adversas podem ser sérias e requerem atenção médica imediata:
- erupção cutânea (rash) com ou sem dificuldade para respirar (possíveis sinais de reações de hipersensibilidade);
- falta de ar (sinais de edema pulmonar);
- erupção cutânea (rash), manchas de coloração vermelho-arroxeada, prurido (possíveis sinais de vasculite); - inflamação dos rins ou vasos com ou sem dor, febre ou dificuldade de urinar, sangue na urina, aumento ou diminuição de eliminação de urina, sonolência, confusão, náusea (nefrite tubulointersticial);
- cansaço ou fraqueza incomuns, espasmos musculares, ritmo cardíaco anormal (possíveis sinais de hipocalemia);
- cansaço incomum, confusão, contração muscular ou convulsões (possíveis sinais de hiponatremia); - confusão, cansaço, contração muscular e espasmos, respiração rápida (possíveis sinais de alcalose hipoclorêmica);
- distúrbios gastrointestinais, como náuseas, vômitos, constipação, dor de estômago, micção frequente, sede, fraqueza muscular e espasmos (possíveis sinais de hipercalcemia);
- dor de estômago superior grave, com náuseas, vômitos ou febre (sinais possíveis de pancreatite);
- vômitos graves ou persistentes ou diarreia;
- batimento cardíaco irregular (possíveis sinais de arritmia);
- sangramento espontâneo ou hematomas anormais (sinais possíveis de trombocitopenia);
- febre, dor de garganta, infecções mais frequentes (possíveis sinais de agranulocitose);
- febre, dor de garganta ou úlceras na boca devido a infecções (possíveis sinais de leucopenia);
- diminuição da visão ou dor nos olhos devido à alta pressão (possíveis sinais de glaucoma de ângulo agudo); - articulações dolorosas e inchadas (sinal de gota);
Se algum destes efeitos afetar você gravemente, pare de tomar o medicamento e informe o seu médico imediatamente.
Outras reações adversas possíveis
Muitos efeitos colaterais vão melhorar sem que você tenha de parar o tratamento.
Verifique com seu médico se alguma das seguintes reações persistirem ou estiverem incomodando:
Algumas reações adversas são muito comuns
Estas reações adversas podem afetar mais de 1 em cada 10 pacientes
- alto nível de ácido úrico no sangue (hiperuricemia);
- elevados níveis de lipídios no sangue (hiperlipidemia).
Algumas reações adversas são comuns
Estas reações adversas podem afetar entre 1 e 10 em cada 100 pacientes
- baixos níveis de magnésio no sangue (hipomagnesemia)
- altos níveis de açúcar no sangue (hiperglicemia)
- erupção cutânea (rash) com prurido ou outras formas de erupção cutânea (urticária);
- tonturas, desmaio ao levantar-se de uma posição deitada ou sentada (hipotensão ortostática);
- dor de estômago;
- perda de apetite;
- dificuldade em conseguir a ereção (impotência);
Se alguma destas reações afetar você gravemente, informe o seu médico.
Algumas reações adversas são raras
Estas reações adversas podem afetar entre 1 e 10 em cada 10.000 pacientes
- altos níveis de açúcar na urina (glicosúria), controle inadequado da diabetes mellitus;
- pele ou olhos amarelados (icterícia);
- dormência ou formigamento nas mãos, pés ou lábios (parestesia);
- visão turva (diminuição visual);
- dor de cabeça, náuseas, vômitos, dor abdominal, constipação, diarreia;
- aumento da sensibilidade da pele à luz solar (reação de fotossensibilidade).
Se alguma destas reações afetar você gravemente, informe o seu médico.
A frequência de algumas reações adversas não é conhecida
- vista curta (miopia).

Cuidados/orientações

Efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos e, ou operar máquinas:
Assim como outros medicamentos utilizados para tratar a pressão arterial elevada, os pacientes tomando clortalidona comprimido podem sentir tonturas e dificuldade de concentração. Portanto, antes de conduzir um veículo, utilizar máquinas, ou fazer outras atividades que precisam de reações rápidas, certifique-se que você sabe como clortalidona comprimido afeta você.
Monitoramento durante o tratamento com clortalidona comprimido
É importante que seu médico avalie seu progresso em visitas regulares para ter certeza que este medicamento está funcionando adequadamente.
Você pode precisar fazer exames de sangue regulares antes e durante o tratamento com clortalidona comprimido. Pode ser necessário medir de tempos em tempos a quantidade de eletrólitos (como potássio, sódio, cálcio ou magnésio) no seu sangue, o que também ajuda a verificar se os seus rins estão funcionando corretamente, principalmente se você tem 65 anos de idade ou mais, tem certas doenças no coração, fígado ou rins, ou se você está tomando suplementos de potássio. Seu médico também irá verificar periodicamente se sua pressão sanguínea está sob controle. Seu médico o orientará sobre tais aspectos.
Este medicamento pode causar doping.
Medicamentos ou substâncias que podem interferir na ação de clortalidona comprimido
Informe ao seu médico ou farmacêutico antes de tomar clortalidona comprimido se estiver tomando ou tiver tomado recentemente qualquer outro medicamento. Pode ser necessário alterar a dose ou, em alguns casos, parar de tomar um dos medicamentos. Isso se aplica tanto para medicamentos prescritos como para os não prescritos, especialmente:
– medicamentos utilizados no tratamento da pressão alta, como os inibidores da ECA (por exemplo, lisinopril) bloqueadores dos receptores da angiotensina (por exemplo, losartana), inibidores diretos da renina (por exemplo, alisquireno), betabloqueadores (por exemplo, propranolol), bloqueadores dos canais de cálcio (por exemplo, anlodipino), vasodilatadores (por exemplo, nitratos), metildopa, guanetidina;
- lítio, antidepressivos, antipsicóticos, medicamentos utilizados no tratamento de alguns problemas mentais;
- antiepilépticos, tais como a carbamazepina (medicamentos utilizados para tratar convulsões);
- medicamentos utilizados para aliviar a dor ou inflamação, especialmente anti-inflamatórios não esteroidais (por exemplo, celecoxibe, indometacina) e salicilatos;
- medicamentos semelhantes à cortisona, esteroides como a prednisolona ou betametasona - utilizados para tratar doenças alérgicas e inflamatórias e reações imunes;
- hormônio adrenocorticotrópico (ACTH) – utilizado no tratamento de uma série de condições diferentes, incluindo a colite ulcerativa, doença de Crohn e artrite reumatoide;
- antibióticos como a penicilina G, anfotericina; carbenoxolona (medicamento usado para tratar úlceras); tratamentos da asma, tais como salbutamol e formoterol;
- estimulantes laxativos (medicamento utilizado para tratar constipação ou utilizados antes de exame retal, intestinal ou cirurgia);
- digoxina ou glicosídeos digitálicos (medicamentos utilizados para tratar problemas cardíacos);
- insulina ou antidiabéticos tomados por via oral (medicamentos utilizados para tratar níveis elevados de açúcar no sangue);
- colestiramina e colestipol, outras resinas (medicamentos usados principalmente para tratar níveis elevados de colesterol no sangue).
- vitamina D, sais de cálcio;
- relaxantes musculares (medicamentos utilizados durante as cirurgias);
- certos medicamentos para o tratamento de câncer (como a ciclofosfamida ou metotrexato);
- anticolinérgicos (como o sulfato de atropina ou butilbrometo de hioscina - medicamentos utilizados para tratar uma variedade de distúrbios gastrointestinais, cólicas, espasmos da bexiga, asma, tontura desencadeada por movimentações do corpo, espasmo muscular, doença de Parkinson e como auxílio na anestesia;
- amantadina (medicamento utilizado no tratamento da doença de Parkinson e também usado para tratar ou prevenir certas doenças causadas por vírus);
- alopurinol (medicamento usado para tratar a gota);
- ciclosporina (medicamento usado para tratar doenças reumáticas ou doenças de pele ou após um transplante); - álcool, barbitúricos e narcóticos (medicamentos com propriedades de indução do sono);
- diazóxido (um medicamento usado para tratar a hipertensão arterial ou hipoglicemia); - aminas pressoras, como noradrenalina (substâncias que aumentam a pressão arterial).
Tomando clortalidona comprimido com alimentos e bebidas: É melhor tomar clortalidona comprimido pela manhã com alimentos. Engula os comprimidos inteiros com um copo de água.
Evite a ingestão de bebida alcoólica, pois o álcool pode fazer sua pressão aumentar ou diminuir, aumentando a possibilidade do aparecimento de tonturas ou fraqueza.

Doenças relacionadas

pressão alta

cirrose hepática

insuficiência cardíaca

disfunção renal

Especialidades médicas

Cardiologia

Hepatologia

Nefrologia

Nomes comerciais

Atenuol Crt, Clordilon, Clortalil, Clorton, Drenidra, Higromil, Higroton, Neolidona

CDB (Denominação Comum Brasileira)

02510.